96,5 MUTUM
AO VIVO
COMPARTILHE
COM OS AMIGOS!
2 semanas atrás - 04/05/2022

A alfabetização sob perspectiva da neurociência, o que você precisa saber

FOTO: Divulgação
FOTO: Divulgação

É incrível a capacidade que o nosso cérebro tem para o aprendizado. Não importa, seja onde for, por todos os lugares do mundo e em todas as culturas com suas linguagens diferentes escritas, a mesma região cerebral, com mínimas diferenças de milímetros, intervalos de habilidade de aprender aquele código.


É com base nessa alta capacidade de um órgão tão importante para o nosso corpo e nossa vida que a pedagoga, Miriam da Silva, desenvolveu um artigo em conjunto com o neurocientista e biólogo, Fabiano de Abreu, no qual foi publicado na revista Ciência Latina, em que busca o entendimento à educação das contribuições da neurociência na educação.


Levando em consideração a constante e rápida ciência, e a ciência na área da Educação especial nas bases da alfabetização da neurociência, principalmente como conhecimento científico obrigam a pesquisa a rever e reformular suas teorias de qualquer teoria. Porém, a grande preocupação ainda é a questão do que insiste em permanecer alheio a descobertas sobre o cérebro e a aprendizagem, insistindo em um modelo tão ultrapassado para a educação.


A mestranda Miriam da Silva, inclusive, mostra que o cérebro humano, conhecendo a eficiência, como cérebro individual, social, motor criativo, inventivo e genial, bem como ele se comporta para promover a aprendizagem, o professor terá outra perspectiva de prática educacional, não somente pela necessidade de mudança pura e simples, mas pelo conhecimento de como fazer o aluno aprender.


E como mesmo cita o neurocientista, Fabiano de Abreu, a educação deve ser singular e não plural, pois, “ o nós, o ser que está diante de que deve ser visto nas suas particularidades, e deve ser motivador a desenvolver como suas capacidades , como áreas de interesse e onde é particularmente notável. O ensino deve ser feito com ritmo próprio explorando melhor cada um. "


Baseando-se para isso, incentivando estudos sobre uma criação de métodos, além de soluções bastante específicas, um fim de aplicar medidas didáticas e outras estratégias que sejam realmente eficazes.

FONTE: MF Press Global