96,5 MUTUM
AO VIVO
COMPARTILHE
COM OS AMIGOS!
2 semanas atrás - 30/08/2021

Encontrado corpo de jovem que foi decapitado em Sinop

FOTO: Paulo Ribas/TV Nova Capital
FOTO: Paulo Ribas/TV Nova Capital

O Instituto Médico Legal confirmou, há pouco, ao Só Notícias, que foi localizado o corpo do jovem Flávio Marques Ferreira, de 20 anos, em uma área nas proximidades da MT-423, que liga Sinop a Cláudia. A equipe foi acionada pela Polícia Civil e está em deslocamento.


O jovem estava desaparecido desde o dia 20, quando sua Honda CG Start vermelha foi encontrada no sábado (21), em um córrego na estrada Ana, após a avenida André Maggi. As buscas se intensificaram após o pai do jovem procurar uma delegacia para denunciar que um vídeo do filho com a cabeça arrancada, mãos e pés amarrados, em uma região de mata, no domingo à noite (22).


Os primeiros trabalhos foram feitos na região da estrada, e em outro local em que o jovem foi visto, mas não há vestígios. Após isso, a polícia passa a ouvir pessoas que há proximidade com Flávio. Na quinta-feira, os trabalhos foram em uma área de mata nas próximas do Residencial Iguatemi, na região do bairro Maria Vindilina. Na sexta-feira, retornaram no mesmo local, porém, como o corpo não foi encontrado, uma Polícia Civil decidiu suspender.


No sábado de madrugada, dois homens foram presos e apontaram que o jovem poderia estar enterrado em uma área de mata nas vizinhanças da comunidade Cantinho da Floresta (acesso pela estrada Rota Verde Claro), a cerca de 36 quilômetros da região central de Sinop. A via de acesso até a estrada vicinal é a MT-220 - sentido ao município de Juara. As buscas foram feitas no decorrer do dia, mas sem sucesso.


Estes dois, foram presos pelo Grupo de Apoio da Polícia Militar, no bairro Menino Jesus, em ação que contou com apoio da Agência Regional de Inteligência, por porte ilegal de arma de fogo. Com eles, foram apreendidos um revólver calibre 38, três munições e quantia em dinheiro (valor não revelado).


Durante a prisão, ao serem interrogados se um arma de fogo teria sido usado para matar Flávio, acabaram declarando o local em que ele pode estar enterrado, mas que o crime foi cometido com um facão. Eles não aprenderam os possíveis executores. Por outro lado, disseram aos policiais quem seria o mandante do homicídio.


Ao serem questionados como sabiam estas informações, apontaram que ouviram comentários, e que Flávio teve uma morte avançada após afirmar que seria integrante de uma organização criminosa, que age em Mato Grosso do Sul, e estaria chamando outros integrantes para virem à Sinop.


Eles ainda passaram aos policiais como identificações e bairros em que outras pessoas que sabem do crime residem, e podem ter envolvimento direto na violenta morte. Agora, as investigações devem continuar para apurar as circunstâncias e responsáveis pelo crime.