96,5 MUTUM
AO VIVO
COMPARTILHE
COM OS AMIGOS!
2 semanas atrás - 13/07/2021

Mãe de mulher vítima de violência doméstica, confirma morte da filha

Divulgação
Divulgação

Dona Maria Auxiliadora, mãe da Francinete Silva dos Santos, de 32 anos, que foi brutalmente violentada na última sexta-feira, supostamente pelo esposo dela no bairro Montreal Park, aqui em Sinop, confirmou ontem a tarde para a nossa equipe de jornalismo, que infelizmente Francinete não resistiu e veio a óbito.


"Ele merece pagar pelo que ele fez. O que ele fez com a minha filha, não vai ter perdão. Eu peço justiça, tanto a justiça aqui, como a justiça divina. Quem tiver qualquer informação dele fazer o favor de entrar em contato com as autoridades. Eu peço justiça!", suplicou. 


Dona Maria, é de Itaituba, no Pará e chegou em Sinop ontem pela manhã, quando teve a notícia do falecimento da filha. De acordo com fontes, o que tudo indica é que Francinete estava internada inconsciente em estado gravíssimo no Hospital Regional de Sinop, desde o último final de semana, mas não resistiu e faleceu, o hospital esperou até a manhã desta terça-feira para oficializar o óbito que seria quando a mãe da vítima estaria presente.


A mãe da vítima, contou ainda que entre idas e vindas, o relacionamento de Francinete com o marido, já durava há sete anos, em meio as desavenças. Segundo Maria, a vítima chegou a ir embora para o Pará, mas diante de muitas insistências do parceiro, ela voltou em fevereiro deste ano, para Sinop.  


Desunião. Eles brigavam, ele batia muito nela as vezes. Aí tinha um negócio de separar e voltar, separar e voltar. Dessa vez dei muito conselho pra ela não vim pra cá e ela teimou e veio. Só para acontecer isso”, lamentou.


Francinete Silva dos Santos, trabalhava como doméstica e completaria 33 anos em outubro. Ela teve vários golpes de marreta na região da cabeça, como também em outras partes do corpo. Inconsciente ela chegou a ser socorrida e levada para o hospital.


De acordo com a polícia, o principal suspeito é marido dela e já havia feito até a cova no fundo do quintal possivelmente com intenção de enterrá-la.


Até o momento o suspeito de 52 anos, está foragido. No local havia duas crianças, filhas de Francinete, uma de 8 e outra de 14 anos que presenciaram o crime. Sendo que a mais velha tem deficiência mental. O Conselho Tutelar foi acionado e ficou responsável por elas.


Agora após resolver as questões fúnebres, a avó das crianças, deve levar elas para Itaituba, no Pará, onde ela mora.

FONTE: Lívia Kriukas / Redação Meridional Notícias