96,5 MUTUM
AO VIVO
COMPARTILHE
COM OS AMIGOS!
1 mês atrás - 25/08/2021

Golpes e fake news voltam a ser constantes entre as redes sociais

FOTO: Divulgação
FOTO: Divulgação


Os golpes e fake news na internet estão cada vez mais presentes nos grupos de Whatsapp e redes sociais em geral. Entre os assuntos mais usados, doações, ajuda das mais variadas, falsos prêmios e até assuntos de saúde.


Um dos mais recentes é uma mensagem com pedido de doação de sangue da tipagem AB, para uma criança chamada Elisa Mirela Guedes de Lima. A fake news menciona ainda que “os médicos deram apenas 24h de vida para ela, caso não consiga a transfusão de sangue”, na mensagem aparece um número para contato, mas ao ligar, dá chamada não existente.


O fato realmente ocorreu, mas não em Sinop, foi no Rio Grande do Norte em outubro de 2014, onde a criança estava precisando da doação de sangue, na época.


Por mais que é de extrema importância o ato de doar sangue e várias pessoas diariamente precisam, a mensagem não é verdadeira e não deve ser compartilhada.


Outro golpe frequente tem sido direcionado aos motoristas. O Detran, divulgou nesta semana, que não encaminha notificações de processo de suspensão de CNH por e-mail.


Isso porque, vários condutores têm denunciado que receberam e-mails informando sobre suposta suspensão do documento, com links para informações. Trata-se de um golpe, possivelmente para sequestro dos dados pessoais dos condutores.  


Para que as pessoas não caiam nessa armadilha, o departamento alerta para os cidadãos tomarem cuidado ao receber algum e-mail nesse sentido, não clicando em links desconhecidos


Já envolvendo dinheiro e premiação falsa, os golpistas tem usado negativamente o sucesso do programa Nota MT, realizado pela Sefaz.


Nesse caso, as vítimas recebem mensagens de que elas possuem créditos em dinheiro perto de expirar, além de outro tipo de mensagem que diz que a pessoa foi contemplada com R$ 10 ou R$ 50 mil, que coincidem com valores sorteados pelo programa.


Na mensagem, eles também mandam um código numérico que eles chamam de “número da sorte” ou “código de liberação”, que segundo a coordenadora de Promoção da Educação e Cidadania Fiscal, Aghata Santana, podem ser possíveis tentativas de clonar o aplicativo das vítimas.


Pedem para a vítima ir ao banco, entrar em contato pelo celular, passar esse código de liberação e nesse momento eles conseguem clonar a senha do banco, fazem empréstimo na conta das pessoas, aí a pessoa consegue sacar o dinheiro, achando que ela ganhou um prêmio, mas na verdade ela não ganhou.”, contou.


Reforçando então é preciso redobrar a atenção ao receber qualquer conteúdo virtual de procedência duvidosa. Também é importante denunciar o ocorrido nas instituições que tem o nome mencionado na fraude. Faça sua parte, denuncie!

FONTE: Lívia Kriukas / Redação Meridional Notícias