96,5 MUTUM
AO VIVO
COMPARTILHE
COM OS AMIGOS!
1 semana atrás - 06/10/2021

Bolsonaro confirma criação da Universidade Federal do Nortão

FOTO: Reprodução
FOTO: Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro confirmou ao senador Wellington Fagundes (PL-MT), durante reunião no Palácio do Planalto hoje (6), que dará sinal verde à criação de novas universidades e institutos federais de ensino, entre os quais, a Universidade Federal do Norte de Mato Grosso, com sede em Sinop.


Uma cerimônia a ser realizada no dia 15 de outubro, quano é comemorado o Dia dos Professores, em Brasília, marcará o lançamento da proposta de criação dos novos centros de ensino.


Para Wellington, atual relator do Orçamento do ano que vem na área de Educação, a iniciativa de desmembrar a Universidade Federal de Mato Grosso e emancipar o campus dará maior autonomia à região.


Especialmente para cumprir a vocação técnica e profissional do município no campo, bem como aumentar a oferta de profissionais capacitados para engrandecer a economia local e gerar empregos”, completou o parlamentar.


O senador garantiu que trabalhará pela recomposição dos recursos necessários para a emancipação e pela aprovação do projeto de Lei 5156/20, de sua autoria, que autoriza o Poder Executivo a criar o campus universitário, dispondo ainda sobre sua estrutura organizacional, administração superior, patrimônio, recursos financeiros e quadro docente.


O ministro da Educação, Milton Ribeiro, já havia confirmado o apoio do MEC à iniciativa, durante extensa agenda realizada em Mato Grosso na semana passada, que incluiu o município de Sinop.


Cabe ressaltar que a criação de novas universidades por emancipação tem sido uma “expertise” de Wellington, que foi um dos maiores responsáveis - em um trabalho de quase uma década - pela criação da Universidade Federal de Rondonópolis, também desmembrada da UFMT.


Meus parabéns a Sinop, e estamos juntos, pois será um grande evento”, celebrou o presidente Bolsonaro, que participava de um café da manhã realizado pela Frente Parlamentar do Agronegócio, no Palácio do Planalto.

FONTE: Assessoria