Entenda como o Corinthians pretende usar socorro de mais de R$ 120 milhões que receberá
96,5 MUTUM
AO VIVO
COMPARTILHE
COM OS AMIGOS!
1 mês atrás - 25/05/2020

Entenda como o Corinthians pretende usar socorro de mais de R$ 120 milhões que receberá

Presidente Andrés Sanchez aguarda antecipação do dinheiro da venda de Pedrinho — Foto: Marcos Ribolli
Presidente Andrés Sanchez aguarda antecipação do dinheiro da venda de Pedrinho — Foto: Marcos Ribolli

O Corinthians espera receber nos próximos dias um importante socorro financeiro que o ajudará a pagar dívidas e atravessar com mais tranquilidade a crise provocada pela Covid-19.



Após quase um mês de negociação, a diretoria alvinegra já troca contratos com um banco estrangeiro que antecipará ao clube os 20 milhões de euros referentes à venda de Pedrinho ao Benfica, de Portugal.



Na cotação atual da moeda europeia, o valor corresponde a mais de R$ 120 milhões.


Tendo sofrido um corte considerável das receitas, o Corinthians usará parte do dinheiro da venda de Pedrinho para despesas correntes, como pagamentos de salários de jogadores e funcionários, contas do clube social e impostos.



Outra parte será usada para quitar débitos antigos. Em seu balanço de 2019, o Timão demonstrou uma dívida de R$ 665 milhões (sem considerar o financiamento da Arena Corinthians).



Mais de R$ 110 milhões são referentes a Imposto de Renda e Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O documento também aponta quase R$ 50 milhões atrasados em direitos de imagem de atletas.
 


Embora tenha apenas 70% dos direitos econômicos de Pedrinho, o Corinthians ficará no primeiro momento com o valor integral da transferência.



Isso porque Will Dantas, empresário do meia e dono dos outros 30%, concordou em receber a sua parte apenas em 2021. Esta informação foi divulgada inicialmente pelo site "Meu Timão" e confirmada pelo GloboEsporte.com.


O Corinthians não informa as condições impostas pelo banco para antecipar os 20 milhões de euros, como a taxa de juros e o prazo para pagamento.
Pelo acordo costurado no começo do ano, o Benfica começará a pagar as parcelas pela compra de Pedrinho no fim do mês que vem.



A paralisação do futebol desde o meio de março trouxe ainda mais dificuldades financeiras ao Corinthians. Com menos entrada de dinheiro, o clube chegou a parcelar o pagamento de funcionários.



No mês passado, houve uma redução de 25% nos salários dos atletas e de 70% nos vencimentos dos demais colaboradores. O Timão também deixou de pagar ajuda de custos a atletas amadores.